3 de setembro de 2008

Meditando com o I Ching

O I Ching é um livro que contem textos, cujo tema é a jornada de crescimento do homem em busca da sabedoria. Na China é usado como um guia de orientações, sempre consultado para o alcance da sabedoria, sucesso e paz de espírito.


Meditando com o I Ching - o livro das mutações - tem a intenção de ajuda-lo a avaliar situações do seu movimento de vida.

Durante a leitura lembre-se que a vida, assim como o livro das mutações, é uma jornada de subidas e decidas num processo construído por nós mesmos.

A meditação de hoje

O Exército
Exagrama 7

Acima: Kun - a terra, a solidão, a escuridão, o trauma
Abaixo: Kan - a água, as paixões, a alma presa na matéria

Comentário

A perseverança é a mestra deste exagrama e, também, a necessidade de tornar-se forte e preparado. Existe boa fortuna e não existe culpa. Isto indica que o individuo luta contra forças externas a ele e não comandava conscientemente.

O aspecto negativo está afogando a consciência - responsabilizar o outro - Por este motivo, mais do que nunca, necessita de perseverança - para responsabilizar a si -
O individuo agora começa a tornar-se consciente dos seus problemas e sente a agonia de estar preso nos próprios problemas, criados e alimentados por ele mesmo durante tantos anos de sua vida.
Se analisarmos o aspecto positivo do exagrama percebemos que a disciplina - tornar-se consciente - coexiste junto a perseverança.

Imagem

Chega o momento de responsabilizar-se e aprender a usar tanto a generosidade como a suavidade para avançar no crescimento interno.

Esta imagem lembra a lenda do encontro do mestre com o discípulo, onde este ultimo conta um sonho que teve.

O discípulo encontra-se enfrente a um tigre de pedra, ele tira da bainha a espada e corta o tigre em dois; porem as duas metades transformam-se em novos dois tigres, que ele tenta quebrar, porem ao logra-lo eles transformam-se em quatro. Assustado, retrocedendo frente a estes quatro tigres, ele enxerga seu mester que começa a acariciar os tigres que originou os outros e aos poucos o adormece voltando a unificar aqueles que tinham se desprendido dele. Ao entender o mestre explica que o primeiro tigre era a representação dos seus defeitos que a cada investida, a cada golpe se multiplicavam mais. Portanto o único meio de dominar este tigre seria através da benevolência e persistência.

Acupuntura - Medicina Chinesa - Psicologia

2 comentários:

Dario disse...

Cruzes ...

Anônimo disse...

É... o I Ching é como um bom conselheiro, diz o necessário.. mas nem tudo é tão “cruzes” como parece – há uma indicação de caminho no ensinamento
Beijos meu amor
Cláudia